Google+ Endorfinando - Paixão por Esportes: Janeiro 2013

segunda-feira, janeiro 28, 2013

Troféu Cidade de São Paulo 2013


No aniversário de São Paulo tivemos o já tradicional Troféu Cidade de São Paulo, primeira vez que fiz este percurso, na verdade achava que ele era o mesmo do Troféu Zumbi do Palmares ( Corpore ) mas é apenas similar.

Falando em percurso, ele é bastante peculiar, literalmente suas subidas e descidas ( Rubem Berta ) são um verdadeiro " morde e assopra " , afinal, quando estais exaurido nas subidas vem uma descida que te da uma aliviada, tem gente que não gosta deste tipo de percurso, eu confesso que acho deveras interessante pelas variações no ritmo cardíaco.

A organizadora do evento é uma das últimas que cobram um preço justo pela inscrição ( 40,00 contra 80,00 das outras concorrentes ), aliás, a organização como um todo foi boa, nenhum problema no guarda volumes, retirada de kits, água durante o percurso, para ser sincero a única sugestão é uma largada por ritmo, afinal é um absurdo a quantidade de pessoas que insistem em largar na frente sabendo que farão um ritmo bem leve e atrapalhando quem faz um ritmo mais rápido.

(Percurso - Clique para ampliar )


Falando da minha corrida, considero que foi boa, clima e temperatura agradáveis para um dia de verão, foi meu retorno após um ano sabático ( minha última prova tinha sido a Meia das Pontes em nov/2011 ) e considero que foi um bom teste para os 25km da Maratona de São Paulo.



Infelizmente não foi possível testar e fazer o review do Polar RC3 mas assim que possível publicarei este review.

Até a próxima

quinta-feira, janeiro 10, 2013

Entendendo a Frequência Cardíaca


Companheiro quase que inseparável da maioria dos corredores, o monitor cardíaco tenta passar a situação do maior motor humano, o coração.

Mas qual é a relação exata entre treinamento e frequência cardíaca ?

Qual a função do nosso coração ?
O papel do coração é enviar sangue rico em oxigênio às células, na forma de bombeamento da sístole (contração) e diástole (relaxamento) cardíaco.
Durante a atividade física, o ritmo cardíaco aumenta com o ritmo do exercício, intensidade do esforço físico, assim como com o aumento do consumo de oxigênio na atividade muscular.
Em adultos normais, o ritmo cardíaco varia de 60 a 80 bpm em repouso, chegando a 100bpm, conforme estado emocional, atividade muscular, fatores ambientais, uso de medicamento (betabloqueadores/efedrina) etc.. Em atletas treinados é comum encontrarmos a bradicardia, valores de batimentos cardíacos abaixo de 60bpm. Isso acontece apenas com pessoas que façam atividades e atletas, devido a adaptação e evolução do músculo cardiáco.
Ok, temos os valores dos batimentos cardíacos em repouso mas durante a atividade física, quais valores podemos atingir e como uso esses valores para treinar e avaliar meu desempenho ?

Primeiramente, temos que saber qual é o nosso BPMax ( Batimento máximo ), para determinar esse valor existem alguns métodos, o mais REAL é o teste ergoespirométrico, outro é o ergométrico, porém para termos uma referência gratuita, rápida porém não tão real podemos utilizar as famosas continhas.

Uma delas é a fórmula de Karvonen (1957) que consiste em : 220 – idade. Essa formula, porém, com desvio padrão de 8 a 11 bpm, + ou – 10 até os 25 anos, e a partir dos 25 anos permite uma abrangência maior de + ou – 12, podendo distorcer a montagem do programa.

Para ajuste da prescrição do exercício em cima dessa fórmula deve ser considerar esses desvios padrões.
Outra é a fórmula de Tanaka et al (2000) : FCM=(208-0,7 x idade).

Ok, já sei como obter minha FCmax, agora como uso isso para me avaliar e para melhorar meu desempenho ?

Para um trabalho aeróbio, com a utilização e participação do oxigênio nas reações e sistema cardiovascular e queima calórica, o trabalho deve ser feito com base nas equações preditas de 50 a 70% da FCM e para nível anaeróbio como treino de ritmo, intervalados, esforço vigoroso, valores de 80 a 90 % da FCM para o esforço.

Após sabermos o ritmo basal em repouso de nosso coração, os batimentos máximos pelo teste ou pela fórmula predita e as intensidades, pode-se trabalhar conforme o objetivo.
Vamos pegar cada consideração e estabelecer a fórmula com base na intensidade trabalhada:
Zona Alvo de Treinamento: (FCM – FCR) x (intensidade do trabalho) + FCR
FCM: Frequência Cardíaca Máxima
FCR: Frequência Cardíaca Repouso

Intensidade do Trabalho




Atividade Fácil zona de conforto
( 50 a 80% FCM

Descrição: Zona para pessoas sedentárias, e iniciantes que estão em adaptação com a atividade física, muscular e cardíaca, zona de queima calórica, treinos regenerativos, treino de volume para provas longas

Limiar Anaeróbio (80 a 90% FCM)

Descrição: zona do ácido lático para melhor da performance atlética e rendimento, acidose metabólica e do limiar anaeróbio, treinos de intensidade de ritmo médios a forte

Esforço Máximo (90 a 100 % FCM)

Descrição: zona de perigo na atividade física, sujeito a contusões, stress oxidativo, ritmos forte a muito forte.


Após os valores acima mencionados para a prescrição do treinamento, agora é definirmos de que forma podemos controlar os ritmos do coração.

Uma das formas mais utilizadas é o monitor cardíaco, composto pelo transmissor relógio e o receptor de fita localizada no tórax. Esse instrumento ajuda a controlar as intensidades para que o exercício seja feito de maneira segura, além de diminuir os riscos de lesão, não expondo o organismo a certas intensidades, e contribuir para uma evolução mais rápida no condicionamento físico. Pois o atleta saberá quando deve correr no ritmo mais médio a forte e quando esta nos treinos de mais volume, mais fáceis. Isso é fundamental para a evolução e supercompensação do treinamento.

Essas informações irão ajudar a entender um pouco mais do treinamento, dessa “maquina” que temos em nosso corpo, controlarmos da melhor forma os treinamentos para que tenhamos uma evolução e ganhos de condicionamento físico satisfatório sem grandes sobrecargas para o organismo.

O sistema cardiovascular é um das engrenagens satisfatórias para o treinamento, e no consumo máximo de oxigênio nos esportes de resistência, porém para gerar benefícios e estímulos devemos saber em que percepção de esforço estamos trabalhando, em cada intensidade e colhermos os frutos do treinamento.

sábado, janeiro 05, 2013

Review do Review - Nike SportWatch GPS


O primeiro review que fiz do Nike SportWatch GPS foram só elogios,  realmente, a funcionalidade e interatividade com o sistema/comunidade Nike+ são não somente estimulantes como deveras útil para avaliar performance em geral.

No entanto infelizmente este segundo review tem como objetivo mostrar uma falha estrutural no projeto do relógio e uma eventual solução caseira para isto.

Comecei a reparar na internet reclamações de usuários de que o visor do relógio após chuva ou mesmo com o suor simplesmente embaçava, depois a luz “ disparava “ e com o tempo o relógio “ morria “ .

Eu não havia ainda vivenciado isso até que...após o banho a tela ficou embaçada e a luz disparou, por sorte voltou ao normal mas bastou eu correr que meu suor desencadeou o mesmo processo.

Parei para pensar e me recordei que dias antes do ocorrido, ao tirar do pulso a pulseira abriu um pequeno vão na área em que se liga ao relógio, ali estava o X do problema, essa abertura que se dá sem esforço ( ou seja, é frágil mesmo ) é a responsável pelos problemas, vejam na imagem abaixo:




Solução testada e aprovada : Com um palito de dentes passei “super bonder” e selei a entrada, aliás, qualquer outra substancia que consiga selar resolve o problema.

Ideal ? Não, o ideal era a Nike trocar, mas trocar por outro que ocorrerá o mesmo é burrice, até onde acompanhei não houve nenhuma correção nessa falha de projeto, aliás isso me lembra muito a falha do primeiro SportBand, bastava uma chuvinha que o visor se desfazia.

quinta-feira, janeiro 03, 2013

NikeFuel - Do que se trata ?


Quem usa Nike+ reparou que ao sincronizar suas corridas alguns pontos chamados “ NikeFuel “ são adicionados no menu principal.

Mas afinal de contas, do que se trata esse tal NikeFuel ?




A Nike lançou em 2012 uma pulseira que promete  monitorar todos seus movimentos, seja quantidade de passos ou até mesmo movimento dos braços (contem 3 acelerômetros, aparelhos que medem os movimentos do braço nas 3 dimensões), sendo assim é possível ter um balanço do gasto energético que você teve durante o dia.

Funciona mais ou menos assim:  Os níveis de atividades equivalem a um numero de pontos que precisa ser alcançado durante o dia.
Níveis de Pontos: 2.500 pontos para um dia normal 3.000 pontos quando o dia inclui exercícios moderados 4.000 para um dia de exercícios físicos intenso, como uma corrida longa, jogar futebol etc.

Conforme você vai alcançando a meta diária a pulseira exibe um LED colorido. Vermelho quando ainda está longe de chegar ao objetivo final, Amarelo quando está próximo e Verde quando os pontos foram alcançados.

A contagem de pontos da pulseira da Nike Fuel Band dura  um dia e vale para qualquer tipo de atividade, quando chega meia noite a  é zerada e só volta a monitorar no outro dia quando você acorda e começa a se movimentar novamente.

Todas as informações da pulseira podem ser acompanhadas pelo usuário no PC ou no celular. Para transferir conteúdo para os dispositivos móveis, é preciso baixar o aplicativo Nike Fuel Band e sincronizar por meio do bluetooth. No computador, o usuário tem que plugar o dispositivo na entrada USB e ele passa os dados para o software.

Depois que todos os dados são transferidos, é possível ver gráficos com a intensidade da atividade física e a quantidade de pontuação obtida. Também dá para acompanhar as calorias (os dados não são precisos, na verdade trata-se de uma estimativa do software) gastas e os passos dados durante o dia de exercício.

As informações são importantes para quem gosta de acompanhar os resultados das atividades físicas. Com ele, o usuário é capaz de ver se está evoluindo, quanto tempo leva para bater a meta e se a corrida (ou qualquer outro esporte praticado) está condizente com as metas preestabelecidas. Os dados também podem ser compartilhados nas redes sociais, que, além do exibicionismo, podem ajudar profissionais da educação física a acompanharem o treino dos alunos a distância.

No meu caso não vejo muito sentido mas para quem está iniciando uma atividade física acho válido principalmente pelo estímulo.



quarta-feira, janeiro 02, 2013

Calendário de Corridas 2013

Já fez seu planejamento visando 2013 ? Veja o calendário das principais organizadoras de provas, ainda não temos os dados da Iguana mas assim que o tivermos atualizaremos aqui também.

Clique para ampliar
Lembrando que as datas podem sofrer alterações.

Google+